Controlo preventivo de pragas urbanas

Definem-se como pragas urbanas as que afetam os núcleos urbanos perturbando as atividades que ali se desenvolvem e o meio envolvente, podendo contribuir para a transmissão de doenças infeto-contagiosas, danificando ou perturbando o habitat e o bem-estar humano.

O controlo das pragas urbanas tem como finalidade a proteção da saúde e do bem-estar das populações e do património.

Esta tarefa implica o envolvimento de todos por forma a manter o ambiente livre de pragas e a população mais saudável, consistindo em:

  • Controlar e eliminar as populações de pragas que infestam as áreas abrangidas pelo sistema;
  • Prevenir a presença de pragas ocasionais;
  • Minimizar os riscos para a saúde humana e para o ambiente;
  • Reduzir a necessidade de biocidas (químicos);
  • Efetuar uma abordagem preventiva;
  • Envolver toda a população na prevenção, fomentando hábitos saudáveis de vivência na cidade.

A Câmara Municipal de Tavira, executa o controlo de algumas Pragas Urbanas, concretamente: Ratos, Baratas e mosquitos (para combate do vírus do Nilo ocidental). Refira-se que o controlo e combate destas pragas é por vezes é dificultado face às características da zona envolvente (sapal e espaços lagunares da Ria Formosa), e na maioria das vezes terrenos ou moradias que se encontram abandonados.

Estão excluídos os serviços de desbaratização e desratização em infraestruturas públicas (esgotos e pluviais) por se tratarem de infra-estruturas geridas pela empresa Taviraverde, E.M. 

 

METODOLOGIA

Na avaliação de cada uma das situações, são necessários um conjunto de procedimentos, tais como;

  • Realização de reuniões diversas com os técnicos da empresa, para fazer o ponto de situação;
  • Atendimento dos munícipes face a reclamações apresentadas;
  • Realização de diversas deslocações aos locais conjuntamente com o técnico da empresa contratada;
  • Identificação do problema;
  • Recolha de informação diversa, relativamente à zona envolvente, nomeadamente na identificação de proprietários de terrenos com falta de limpeza;
  • Elaboração do relatório;
  • Articulação da intervenção;
  • Acompanhamento da intervenção;
  • Controlo, tendo em conta a evolução da situação.

São efectuadas ações, previamente calendarizadas, de controlo da população de ratos e baratas, bem como o controlo sazonal de outras pragas e espécies nocivas na via e espaços públicos. Podem também ser efetuadas, no espaço público ou no património municipal, intervenções pontuais a pedido dos serviços ou dos munícipes.

São ainda realizadas intervenções em fogos sociais e/ ou devolutos onde se verificam situações de insalubridade, Juntas de Freguesia ou outras organizações da comunidade.

No âmbito do contrato de prestação de serviços com a Pragalgarve,  tem sido realizada a monitorização e controlo das pragas, de acordo com as necessidades reais e em articulação com as indicações dos serviços da autarquia.

São executados os trabalhos normais de acordo com os cronogramas das ações, os quais são elaborados consoante as espécies a combater. Estes cronogramas compreendem o combate à praga propriamente dita bem como as consolidações a realizar intercaladamente. Quanto ao cronograma de ações do controlo Anti-Vectorial do Vírus do Nilo Ocidental, verifica-se na prática um ajustamento às ações, tendo em conta a data da apresentação do relatório elaborado anualmente pelo Ministério da Saúde – Administração Regional de Saúde do Algarve, IP (Departamento de Saúde Pública) que identifica os locais infestados onde é necessário intervir. Relativamente a alguns edifícios municipais torna-se igualmente necessário fazer ajustamentos ao cronograma de ação, compatibilizados com época de férias ou encerramento dos mesmos.

Os produtos a utilizar, para além de se adequarem à praga a combater, são escolhidos tendo em conta vários fatores como a baixa toxicidade para o homem e para os animais e o menor impacto nos ecossistemas. Os locais de aplicação são escolhidos tendo sempre em conta a proteção dos agentes externos (animais não alvo, chuva, humidade e crianças), encontrando-se ainda perfeitamente identificados. Para a adequada informação à população são colocados painéis informativos nas zonas em tratamento.

Relativamente às reclamações, uma vez recebido o pedido através de e-mail, telefone, fax, carta ou diretamente nos nossos serviços, é solicitada à empresa que efectue uma visita ao local assinalado, por vezes conjuntamente com um técnico desta Divisão, consoante a gravidade da situação. Após a observação direta é feita uma avaliação do problema, tendo em conta a causa do mesmo, o tipo de tratamento a levar a cabo e respetiva indicação dos produtos mais adequados a aplicar, sendo de imediato efetuada a intervenção, caso existam condições para o fazer e esteja integrado no âmbito do contrato estabelecido com a empresa PRAGALGARVE. Se não for o caso, então serão explicadas as medidas a tomar para que seja eliminada a praga.

 

CONTROLO INTEGRADO DE PRAGAS

Para o controlo das pragas é efetuada uma aferição da evolução dos níveis de infestação, que passa por um adequado sistema de monitorização. Este sistema assenta num cruzamento de informação ao nível das reclamações por zonas de trabalho, quantidade dos produtos consumidos e número de focos existentes.

A compilação da informação durante a monitorização permite acertar/corrigir o planeamento do trabalho teórico proposto no cronograma, de modo a suprir as necessidades de cada zona ou freguesia de modo a controlar a evolução da praga.

 

ATUAÇÃO

No âmbito das intervenções executadas, são desencadeados outros serviços em paralelo, por forma a tornar eficaz o combate à praga, tais como, a abertura de procedimento de prestações de outros serviços fora do âmbito deste contrato.

Por vezes, alguns locais, poderão exigir a realização de um estudo e análise da situação a que designamos DIANÓSTICO DA SITUAÇÃO  do lugar, levando a cabo a identificação da praga a combater, uma avaliação dos fatores de risco de infestação  e distribuição de densidade de vetores e grau do nível de conflitualidade. É posteriormente elaborado o plano de actuação.

 

AVALIAÇÃO FINAL

Fazendo uma avaliação global, tendo em conta o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por esta Divisão, destaca-se seguinte:

  • A importância na colaboração de todos quanto à informação a prestar sempre que se verifique vestígios de infestação, por forma a possibilitar a adequada monitorização das pragas;
  • O serviço de desbaratização e desratização em infraestruturas públicas (esgotos e pluviais) não se encontra enquadrado no âmbito do contrato entre a Pragalgarve e a autarquia. As intervenções nestas infraestruturas, geridas pela empresa Taviraverde, E.M., estão contempladas no âmbito do contrato entre a empresa municipal e a Pragalgarve, sendo que existe sempre uma constante articulação e comunicação das intervenções previstas pelas duas entidades (Câmara e Taviraverde) com a empresa que presta o serviço;
  • A limpeza das linhas de água por forma a controlar a Anti-Vectorial do Vírus do Nilo Ocidental.

 

Tags: