Financiamentos privados

 

 

 

 

 

O Portugal 2020 trata-se do acordo de parceria  adotado entre Portugal e a Comissão Europeia que reúne a atuação dos cinco Fundos Europeus Estruturais e de Investimento - FEDER, Fundo de Coesão, FSE, FEADER e FEAMP - no qual se definem os princípios de programação que consagram a política de desenvolvimento económico, social e territorial para promover, em Portugal, entre 2014 e 2020.

Estes princípios de programação estão alinhados com o Crescimento Inteligente, Sustentável e Inclusivo, prosseguindo a ESTRATÉGIA EUROPA 2020.

Portugal vai receber 25 mil milhões de euros até 2020, para tal definiu os Objetivos Temáticos para estimular o crescimento e a criação de Emprego, as intervenções necessárias para os concretizar e as realizações e os resultados esperados com estes financiamentos.

A programação e implementação do Portugal 2020 organizam-se em quatro domínios temáticos: - Competitividade e Internacionalização; - Inclusão Social e Emprego; - Capital Humano; - Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos. Considera, ainda, os domínios transversais relativos à reforma da Administração Pública e à territorialização das intervenções.

 

Toda a informação relativa aos avisos de apresentação de candidaturas pode ser consultada em: https://www.portugal2020.pt/portal2020/indice-candidaturas

 


Programa Operacional CRESC Algarve 2020

A Região, fruto da forte especialização no setor turístico e imobiliário, não conseguiu ao longo do tempo diversificar a sua estrutura produtiva e acautelar os riscos de variações conjunturais da procura e do mercado (particularmente em  termos  de  absorção  dos  excedentes  de  mão  de  obra),  sendo  em  2010  de  acordo  com  o  Eurostat  a  5ª  região Europeia com menor  axa de emprego industrial, e a 11ª região da Europa com maior concentração de emprego nos

cinco  principais  setores.  Por  outro  lado,  a  atividade  central  do  seu  modelo  económico,  é  genericamente  pouco  exigente  em  termos  de  qualificação  dos  seus  humanos  e  em  necessidades  de  introdução  de  inovação  nos  seus  processos e produtos.

Este  conjunto  multivariado  de  fatores,  conduziu  a  Região  a  uma  perda  progressiva  de  competitividade,  à  fragmentação  das  cadeias  de  decisão  e  liderança  e  a  um  crescimento  acentuado  da  incapacidade  de  absorver  os  excedentes da mão-de-obra libertados pelos setores em dificuldade. Como Região com a maior taxa de desemprego,  com um crescimento do desemprego de longa duração e do desemprego jovem, o Algarve,  regista o aumento da  sazonalidade das suas atividades e  incapacidade de capturar e de gerar valor nas cadeias de transformação dos seus  recursos endógenos.

Este quadro no contexto da programação 2014-2020 obriga à concentração das intervenções num conjunto limitado  de áreas prioritárias, de onde se destaca:

- A aposta nos Objetivos Temáticos (1 - Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação, 3 -Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação e 9 – Promover a inclusão social e combater a  pobreza; atingindo no total 53% da sua dotação financeira), tendo em vista a diversificação da atividade económica  e o reforço da competitividade das empresas enquanto vetor de criação de postos de trabalho, suportados em  recursos humanos mais qualificados. Neste contexto é de realçar a aposta na concretização da RIS3, na dinamização  de PME’s inovadoras e no reforço da IDT (com 26,5% e 23,2% do total do FEDER respetivamente);

- Naturalmente que face ao recente acréscimo de desemprego na Região, tendo por base o modelo de  especialização muito concentrado num único cluster de atividades e em mão de obra pouco qualificada, as questões  do emprego e da empregabilidade ganharam uma relevância inédita, traduzida num envelope financeiro para o  Objetivo Temático 8 que corresponde a 14,4% do total do Programa;

- Complementarmente a esta priorização, o Algarve procura reforçar as abordagens integradas ao Desenvolvimento  Urbano Sustentável (com 11,5% do total dos fundos do Programa) e à coesão dos territórios de Baixa Densidade  valorizando os ativos territoriais como suporte à competitividade do destino;

Para  concretização  desta  estratégia  sustentável,  o  PO  CRESC  Algarve  2020  concretiza  operacionalmente  estas  prioridades nos seguintes eixos:

•  Promover a investigação e inovação regional;

•  Apoiar a internacionalização, a  competitividade empresarial e o empreendedorismo qualificado ;

•  Promover a sustentabilidade e eficiência dos recursos;

•  Reforçar a competitividade do Território;

•  Investir no emprego;

•  Afirmar a coesão social e territorial;

•  Reforçar as competências;

•  Modernizar e capacitar a Administração

 

Neste sentido e como forma de concretizar alguns dos objetivos preconizados para materialização dos eixos propostos encontram-se abertos diversos avisos que podem ser consultados em http://algarve2020.eu/info/avisos

 

 


O Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 ou PDR 2020 vem substituir o programa PRODER como novo modelo de apoio ao desenvolvimento de projetos agrícolas. Este programa inclui medidas de apoio a:

 

• Jovens Agricultores que se instalem pela primeira vez;

• Investimento na Exploração Agrícola;

• Investimento na Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas

Para mais informações consulte o aviso de abertura, legislação  e orientações técnicas em: https://balcao.pdr-2020.pt/balcao/inicio/auth/login

 

 

 

 

 

 

 

 


Tags: