POALG - Regeneração Urbana

Nas últimas três décadas tem havido uma crescente consciencialização dos problemas urbanos e da necessidade de criar alternativas sustentáveis que possibilitem condições de crescimento económico, evitar o abandono e a degradação das zonas urbanas.

Associado ao conceito de reabilitação surge o conceito de requalificação que visa restituir a qualidade de um determinado espaço a partir de melhoria das condições físicas dos edifícios e/ou dos espaços urbanos, podendo ser alterada a função primitiva de forma a dar resposta às exigências da época. A regeneração urbana deverá ser atualmente entendida como uma ambiciosa política de compromisso social, cultural e económico entre as estruturas políticas e as comunidades locais de modo a fomentar a integração de novos vizinhos, novas empresas, novas dinâmicas consertadas entre todos. É entendida como um política de promoção de coesão social, ou seja, integração geracional, étnica, económica, cultural, entre outras, com forte respeito pelos valores de exceção decorrentes de uma tradição de linhagem caracterizadora das comunidades locais.

A regeneração urbana terá também que identificar os edifícios ou conjunto de edifícios a reabilitar, estabelecendo prioridades, bem como espaços livres destinados à construção para integrar novas tipologias que uma vez instaladas concorrem para o rejuvenescimento da população. A regeneração urbana deve procurar responder a critérios de sustentabilidade ambiental, económica/financeira e social, quer nas várias intervenções levadas a cabo no espaço urbano, quer na capacidade de sustentabilidade do próprio processo.

A promoção do espaço urbano passa por dois tipos de estratégia: a exploração da exitência de uma base económica forte, inovadora e com potencial de internacionalização; e a de aposta num determinado evento de proteção supranacional.

As Parcerias para a Regeneração Urbana constituem-se como um bom instrumento, todavia é necessária a criação de uma estratégia política que envolva não só os programas de investimento público como privado. O apoio em parcerias é uma característica nuclear dada a necessidade de criação de dinâmicas organizacionais e institucionais de gestão de mudança urbana, ou seja, da mobilização do esforço coletivo já que as parcerias, pela participação, constituem-se como o modo mais eficaz de possibilidade, de integração e abrangência das soluções e permitem uma maior coordenação e complementaridade entre diferentes competências de diferentes agentes.

Tavira é sem dúvida uma cidade marcada por uma forte componente histórica. O seu Centro Histórico compreende particularidades próprias, características da sua centralidade e de um tecido urbano antigo, em algumas situações degradado.

O valor do Centro Histórico e Zona Ribeirinha, há já muito reconhecido, quer pela sua localização privilegiada num contexto único, quer pelos valores patrimoniais que encerra e onde se contam milénios de história, quer pela coerência de identidade e memória do lugar, constituem-se como um local de afirmação das mais diversas formas de sociabilidade e manifestação humana, quer sejam de lazer, convívio, de mera passagem ou de compromissos profissionais.

Os vestígios arqueológicos da época fenícia até à medieval, a diversidade das dezenas de templos e os próprios edifícios particulares, a ponte que separa o Rio Séqua do Rio Gilão em pleno coração da cidade constituem um conjunto de características diferenciadoras que conjugadas com os recursos naturais existentes e com uma forte aposta na atividade turística têm vindo a ganhar cada vez maior dimensão.

A preocupação consiste na criação de uma estratégia conjunta, no sentido de se encontrarem soluções integradas e multidisciplinares de reabilitação e requalificação deste espaço, aumentando assim a eficiência e valorização da estrutura existente e com a introdução de novas funções, uso e equipamentos, compatíveis com as exigências atuais, em benefício da população local e daqueles que visitam o Centro Histórico e Zona Ribeirinha.

 

Associação para o Desenvolvimento Integrado da Baixa de Tavira - UAC

Criada em 2007, sob a forma jurídica de Pessoa Coletiva de Direito Privado, sem fins lucrativos, a Associação para o Desenvolvimento Integrado da Baixa de Tavira (UAC) tem como sócios honorários o Município de Tavira e a Associação do Comércio e Serviços do Algarve - ACRAL.

A UAC tem vindo a desenvolveer e promover ações no sentido de dinamizar o comércio da Baixa da Cidade. Com cerca de 50 estabelecimento, dos mais diversos ramos de atividade, associados, tem uma importante função no que concerne à modernização e revitalização da atividade comercial através do desenvolvimento de uma estratégia de gestão integrada da Baixa de Tavira.

 

Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Tavira

Designada por Santa Casa da Misericórdia de Tavira, ou apenas Misericórdia de Tavira, foi fundada em 1498 e constituída na ordem jurídica canónica, com o objetivo de satisfazer as carências sociais e praticar atos de culto católico de harmonia com o seu espírito tradicional, informado pelos principíos da doutrina e moral cristã.

Sedeada inicialmente numa capela lateral à Igreja Conventual de São Francisco, mudou-se para o antigo Hospital em 1541, altura em qye mandou construir a Igreja da Misericórdia.

Tendo como padroeira a Nossa Senhora da Misericórdia tem a missão de manter o culto divino nas suas Igrejas, a sua personalidade civil e reconhecimento como instituição privada de solidariedade social subordinada ao ordinário Diocesano.

A nível social, a Misericórdia é reconhecida como instituição privada de solidariedade social, pelo que presta serviços de apoio a crianças, jovens, proteção na velhice e invalidez, apoio à família e situações de falta ou diminuição de meios de subsistência ou de capacidade de trabalho.

 

 Plano de Animação - Parceria para a Regenração Urbana (ficha de projeto)

 

 

Arraiais do Mundo (ficha de projeto)

 

 

Música nas Igrejas (ficha de projeto)

 

 

Núcleo Museológico Islâmico, Posto de Turismo e Galeria (ficha de projeto)

 

 

Reabilitação do Imóvel do Gaveto no Largo da Misericórdia (ficha de projeto)

 

 

Núcleo Museológico da Água e Requalificação da Envolvente (ficha de projeto)

 

 

Recuperação da Igreja da Nossa Senhora das Ondas (ficha de projeto)

 

 

Parque Verde do Séqua - 2ª. Fase (ficha de projeto)

 

Restauros Diversos na Igreja da Misericórdia (ficha de projeto)

Restauro e Pintura do Teto da Casa do Despacho (ficha de projeto)

Equipamento Casa do Despacho (ficha de projeto)

Equipamento para a Igreja da Misericórdia (ficha de projeto)

 

Promoção da Baixa de Tavira e Animação (ficha de projeto)

Tags: