Cabanas

A história de Cabanas remonta ao ano de 1734, data em que a armação do atum iniciou a sua atividade e originou a criação das primeiras cabanas, indispensáveis à recolha dos apetrechos de pesca e ao alargamento da companhia. Durante mais de 20 anos foram feitas referências às cabanas apenas como residência sazonal, no entanto, só por volta de 1757/58, é que alguns pescadores optam por construir as suas casas a título permanente.

Fortemente ligada às artes piscatórias, esta freguesia possui uma área de 3.480 hectares e conta com uma população de 1.081 habitantes (censos 2011), embora este número aumente, consideravelmente, na época estival, fruto do elevado desenvolvimento turístico da vila.

Em 21 de junho de 1997, Cabanas foi constituída como freguesia, após ter sido desanexada da Conceição e, em 19 de abril de 2004, foi elevada a vila.

A sede desta freguesia é a própria povoação e a sua padroeira a Nossa Senhora do Mar.

Atualmente, a freguesia ainda se dedica à pesca, contribuindo para o enriquecimento da gastronomia local, com produtos como o atum, lingueirão, as conquilhas e amêijoas. Apesar de intimamente ligada a esta atividade, Cabanas vive, também, do turismo, sendo a freguesia do concelho que mais visitantes recebe ao longo do ano.

Hoje, Cabanas oferece a todos aqueles que a visitam um rico património natural, através da sua fauna e flora que aliado, à diversificada oferta de alojamentos e restaurantes, proporciona a todos verdadeiros de momentos de bem-estar e satisfação. A praia de Cabanas é um extenso areal com cerca de 7 quilometros, sendo bandeira azul desde 1989. A avenida Ria Formosa, recentemente requalificada, proporciona um ambiente pitoresco, de onde se contempla a ria e a costa.

 

O que visitar?

Capela de Nossa Senhora do Mar

A Capela Nossa Senhora do Mar foi inaugurada em 24 de abril de 1994 e possui no seu interior uma imagem em honra desta santa, a qual foi adquirida pela população. A 24 de junho de 2008, este espaço foi alvo de ampliação. A conceção arquitetónica da ampliação e remodelação da capela baseia-se na imagem de um barco, numa referência à atividade piscatória da vila.

Forte São João da Barra

Na marginal à esquerda, e sempre junto à Ria Formosa, situa-se o Forte São João da Barra. Este imponente exemplar de arquitetura militar portuguesa foi mandado construir, em 1656, pelo Conde Val de Reis, no reinado de D. João IV, e reconstruído, em 1973. Atualmente, funciona como turismo de habitação.

Parque Natural da Ria Formosa

O Parque Natural da Ria Formosa abrange uma área de cerca de 18400 hectares, distribuídos ao longo de 60 quilometros de costa que compreende o território do Ancão à Manta Rota.

É uma zona húmida, de importância internacional, que faz parte da lista de sítios ramsar e zona de proteção especial – “Directiva Aves”.

Com cerca de duas centenas de espécies documentadas, a Ria Formosa alberga aves migradoras oriundas do centro e norte da Europa para além de ser local de nidificação para muitas outras.

A Ria Formosa é uma área protegida pelo Estatuto de Parque Natural, desde 1987, foi eleita em 2010, como uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal, é também considerada um ecossistema de grande importância não só a nível regional como nacional e internacional. (saiba mais)

 

Tags: