Santa Luzia

Num cenário de luz e beleza ergue-se perante os azuis do céu e do mar, Santa Luzia. Com 430 hectares, esta é a freguesia mais pequena do concelho e tem 1.455 habitantes. Situada a cerca de 2 quilometros de Tavira, esta vila carrega na sua essência os costumes e saberes das gentes do mar.

De acordo com os registos, Santa Luzia nasceu em 1577, por iniciativa dos pescadores, quando estes edificaram uma ermida dedicada a uma santa com o mesmo nome, mártir siciliana e protetora dos que sofrem dos olhos. Santa Luzia tornou-se, assim, a padroeira da freguesia.

A história da vila esteve sempre ligada ao mar. Inicialmente através da pesca por xávegas e anzol e, a partir de 1842 até meados do século XX, com o aparecimento da armação do Barril, por intermédio do copejo do atum. A partir de 1927, os pescadores começaram a dedicar-se à pesca do polvo com alcatruzes e covos, tal facto contribuiu para que, ainda, hoje, Santa Luzia seja considerada a "capital do polvo".

Anos mais tarde, mais concretamente, a 29 de dezembro de 1984, esta povoação, anteriormente integrada na freguesia de Santiago, foi elevada a sede de freguesia, tendo-se tornado vila, em 1999.

Hoje, ainda de natureza piscatória, esta freguesia vive, também, da aposta no turismo, com alojamento, restaurantes e praias de qualidade. Designada como a "capital do polvo", Santa Luzia proporciona a todos os seus visitantes verdadeiros momentos de harmonia e bem-estar.

Aprecie a vida desta vila e as artes de pesca que convivem num ambiente de harmonia com o turismo e a hospitalidade dos santaluzienses.

 

O que visitar?

Igreja Matriz de Santa Luzia

Datada do século XVI, a Igreja foi reconstruída, no século XX, com a ajuda da população.

Antiga Armação do Atum

Situada, na praia do Barril, a sua origem remonta ao ano de 1842. O seu estado de conservação é bom, tendo o espaço sido reconvertido numa área comercial com lojas, restaurantes, cafés, gelataria e bar. Próximo da armação é possível contemplar, ao longo do areal, um "cemitério de âncoras" que adorna a zona.

Parque Natural da Ria Formosa

O Parque Natural da Ria Formosa abrange uma área de cerca de 18400 ha, distribuídos ao longo de 60 km de costa que compreende o território do Ancão à Manta Rota.

É uma zona húmida de importância internacional, que faz parte da lista de sítios ramsar e zona de protecção especial – “Directiva Aves”.

Com cerca de duas centenas de espécies documentadas, a Ria Formosa alberga aves migradoras oriundas do centro e norte da Europa para além de ser local de nidificação para muitas outras.                

A Ria Formosa é uma área protegida pelo Estatuto de Parque Natural, desde 1987, foi eleita em 2010, como uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal, é também considerada um ecossistema de grande importância não só a nível regional como nacional e internacional. (saiba mais

Oliveira Bimilenária

A imponente oliveira bimilenária foi classificada de interesse público em 1984. Esta árvore possui uma copa de 7,70 metros de altura e um diâmetro maior de 11,80 metros. Pensa-se ser originária da Mesopotâmia, tendo sido trazida para a Europa pelos Fenícios entrando no Algarve pela povoação de Balsa.

 

Tags: