Santo Estêvão

A freguesia de Santo Estêvão, situada em zona de transição entre o mar e a serra, no barrocal algarvio, possui 1.171 habitantes (censos 2011) distribuídos por uma área de 2.640 hectares.

De características geográficas únicas, esta freguesia integra um vasto património natural e um património arquitetónico que dignifica o contexto em que Santo Estêvão se ergue. A criação desta freguesia remonta ao século XVI (1597), no entanto o seu desenvolvimento verificou-se com maior incidência no início do século XX.

Das atividades artesanais que ainda perduram destaca-se a cestaria em verga ou cana, as rendas, cadeiras em tabua e a destilaria. A nível da gastronomia, os enchidos e outros derivados do porco, o pão caseiro, os doces regionais de amêndoa e os frutos secos marcam os sabores desta zona do concelho. [ver restaurantes na freguesia].

Uma parte da população vive ainda da exploração agrícola e da produção de citrinos. A produção de alfarroba, citrinos, figo, amêndoa e a caça desempenham ainda importante papel nas atividades económicas da freguesia e no regime alimentar da população. O turismo tem vindo a desenvolver na freguesia, nomeadamente com a presença de diversos alojamentos.

No artesanato tradicional destacamos a cestaria em verga ou cana, as rendas, cadeiras em tábua e ainda possuímos atividades de destilaria. Pratica-se uma gastronomia rica e variada, com enchidos e outros derivados do porco, pão caseiro, legumes e frutas, doces tradicionais de amêndoa e outros frutos secos.

 

Aprecie os encantos desta freguesia e desfrute aquilo que de melhor o barrocal lhe pode proporcionar.

O que visitar?

Igreja Matriz de Santo Estêvão

No coração da aldeia encontra-se a Igreja. Este edifício, inicialmente uma ermida tardo-medieval, evoluiu no seu aspeto original devido a importantes obras realizadas no século XVIII. No século XIX, a sua fachada foi remodelada e, em 1903, o seu portal principal foi reconstruído. No interior da nave encontram-se imagens dos séculos XVII e XVIII.

Casas Típicas

No decorrer da visita a esta freguesia observe as típicas casas algarvias com as platibandas recortadas sob o azul do céu.

Pego do Inferno (devido aos incêndios florestais, ocorridos em julho de 2012, o local encontra-se sem acesso ao público)

A cerca de 7 quilometros de Tavira, encontra-se o Pego do Inferno, em pleno barrocal algarvio. Durante o percurso, é possível observar-se a Ribeira da Assêca. Outrora, local de azenhas e moinhos de trigo. Nas margens ribeirinhas, é possível apreciar algumas espécies faunísticas que dependem diretamente de água.

Apesar da beleza de todo o percurso, o ponto alto da visita é a chegada ao miradouro do Pego, onde se pode admirar a queda de água.

Moinhos da Rocha

Perto do Pego do Inferno pode, também, visitar os Moinhos da Rocha (o da Rocha de Cima, Rocha de Baixo e Rocha do Meio), os quais fazem parte de uma propriedade com o mesmo nome. Os moinhos remontam ao antigo reguengo e destinavam-se à produção de farinha de cereais.

Visitas Panorâmicas

Esta freguesia possui, também, na sua essência locais que, por si só, possibilitam a apreciação de vistas panorâmicas, é o caso do Passal, Monte Agudo, Malhão, da Sinagoga e de Estiramantens.

 

Tags: