Eficiência energética

 

Melhorar a eficiência energética é uma das formas mais simples de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e tornar o abastecimento energético mais sustentável e seguro, para além de incentivar o desenvolvimento económico, criar emprego e baixar o custo da energia para os particulares e as empresas.

Enquanto consumidores de energia, todos temos alguma responsabilidade pelo futuro do nosso planeta.

Através de pequenas ações, podemos fazer a diferença.

Reduzir

Com pequenas ações podemos contribuir para o esforço global no combate às alterações climáticas e, simultaneamente, poupar dinheiro na conta de energia e aquecimento!

Basta mudar de atitude para tornar um hábito as sugestões que se seguem:

  • Verifique se a água está demasiado quente. O termóstato do seu termoacumulador não tem de estar regulado para mais de 60°C. O mesmo sucede com a caldeira do aquecimento central. Lembre-se que 70% da energia utilizada nos lares da UE é gasta em aquecimento geral e os outros 14% no aquecimento da água.
  • Reduza o nível do aquecimento. Reduzir a temperatura em apenas 1°C pode significar menos 5 a 10% na conta total de energia do seu lar e evitar até 300 kg de emissões de CO2 por família e ano.
  • Programe o termóstato dos seus equipamentos de climatização para que, durante a noite ou enquanto estiver fora de casa, a temperatura predefinida seja baixa e, na altura em que acordar ou voltar para casa, a temperatura esteja novamente numa regulação confortável. Isto poderá reduzir a conta do seu aquecimento em 7 a 15%.
  • A temperatura recomendada para um frigorífico é entre 1° e 4°C e o congelador deve ser programado para -18°C. Cada grau abaixo destas temperaturas não faz qualquer diferença na forma como os alimentos são preservados, mas aumenta o consumo de energia em aproximadamente 5%. Coloque um termómetro no frigorífico e no congelador para verificar a temperatura!
  • Não deixe sair o calor da sua casa durante um longo período de tempo. Ao arejar a casa, se deixar uma pequena abertura durante todo o dia, a energia necessária para manter a casa quente por dentro durante seis meses de frio (com uma temperatura exterior de 10°C ou menos) seria praticamente equivalente a 1 tonelada de emissões de CO2.
  • Instale um bom sistema de isolamento. Esta é uma das formas mais eficazes de reduzir as emissões de CO2 e de poupar energia a longo prazo. A perda de calor através das paredes, telhado e pavimento é habitualmente mais de 50% da perda de calor global. Isole os seus depósitos de água quente, os canos do aquecimento central, bem como as cavidades das paredes, e coloque película de alumínio por trás dos radiadores.
  • Substitua os antigos vidros normais das suas janelas por vidros duplos - isto requer um pouco de investimento à partida, mas irá reduzir para metade a energia desperdiçada através das janelas e revelar-se-á rentável a longo prazo. Se optar por uma boa solução no mercado, pode mesmo poupar mais de 70% de energia.
  • A atividade humana produz cerca de seis giga toneladas de dióxido de carbono por ano, enquanto a Terra apenas consegue reciclar três giga toneladas. O resto acumula-se todos os anos na atmosfera, reforçando assim o efeito de estufa. Lembre-se de poupar energia!
  • Não utilize o ciclo de pré-lavagem na máquina de lavar roupa. As máquinas de lavar modernas permitem-lhe ignorar esse ciclo, poupando 15% da energia.
  • Desligue o fogão ou forno alguns minutos antes de os alimentos estarem prontos e tire partido do calor residual para acabar de cozinhar.
  • Passe a roupa a ferro num só lote, em vez de um artigo de cada vez. Irá poupar a energia necessária para aquecer o ferro de cada vez que pretender utilizá-lo.
  • Mude para lâmpadas LED. Com um período de vida de quase 100.000 horas, esse tipo de lâmpada poderá ser utilizada durante dezenas de anos sem produzir quaisquer resíduos ou poluição!
  • Troque o seu antigo monitor CRT do computador por um do tipo LCD ou LED, tornando-se mais eficiente em termos de energia. Se usar o seu ecrã até oito horas por dia, pode poupar até 100.000 watts num ano.

Desligar

Tirar algum tempo para desligar um interruptor ou fechar a torneira pode parecer insignificante. Contudo, se todos nós fizéssemos diariamente este gesto, os resultados seriam significativos.

  • Desligue as luzes quando não necessitar delas. Se desligar 5 luzes nos corredores e nos quartos da sua casa, quando não necessitar delas, pode economizar cerca de 60 euros/ ano e evitar cerca de 400 kg de emissões de CO2 por ano.
  • Mude para lâmpadas energeticamente mais eficientes: se utilizar apenas uma, pode reduzir os seus custos com a iluminação em até 60 euros e evitar 400 kg de emissões de CO2 durante toda a vida útil da lâmpada – sendo que estas duram até 10 vezes mais que as lâmpadas normais. As lâmpadas economizadoras são mais caras no ato da compra mas acabam por ser mais económicas ao longo de todo o seu tempo de vida útil.
  • Não deixe os aparelhos elétricos em modo de espera (standby) - utilize o botão "on/off" no próprio aparelho. Uma televisão que fica ligada durante 3 horas por dia (tempo médio que os europeus levam a ver televisão), e em modo de espera durante as restantes 21 horas, utiliza cerca de 40% da respetiva energia em modo de espera (standby).
  • Desligue o carregador do seu telemóvel quando não estiver a utilizá-lo - quando está ligado à tomada elétrica, este continua a consumir energia mesmo quando não está ligado ao telemóvel.
  • Utilize ventoinhas para refrescar o ar - um ar condicionado de uma divisão de tamanho médio consome 1000 Watts, originando cerca de 650 g de emissões de CO2 por hora, custando cerca de 0,10 € durante essa mesma hora. As ventoinhas podem constituir uma boa alternativa. Se optar por ar condicionado, use-o com moderação e procure adquirir um modelo económico em termos de consumo de energia.
  • Adote energias renováveis. Fazendo isso ajudará a reforçar as fontes de energia renovável. Atualmente, apenas 14% da eletricidade da Europa são gerados a partir de fontes de energia renovável amigas do clima, como a eólica, hidráulica, madeira, biogás, solar etc. sendo que a procura cria a oferta! Pode igualmente pensar em instalar painéis solares no telhado da sua casa para produção e venda de energia elétrica.
  • Utilize o secador apenas quando estritamente necessário - cada ciclo de secagem produz mais de 3 kg de emissões de CO2. Secar a roupa naturalmente é de longe a melhor forma de o fazer: as suas roupas durarão mais tempo e a energia fornecida é grátis e não poluente!
  • Deixe entrar a luz! Reduza as emissões de CO2 e mantenha as suas contas de eletricidade baixas aproveitando ao máximo a luz natural. Pense em escolher cores claras para paredes, tetos e pavimentos, assim como em usar espelhos, para refletir a luz diurna.
  • Desligue o computador enquanto estiver ausente do escritório durante reuniões longas ou nas horas para almoço. Pode assim poupar até 20% do seu consumo diário de eletricidade. Mesmo que não seja você a pagar a conta da eletricidade, pense nos outros e… no ambiente!
  • Ligue os aparelhos elétricos da sala de estar (TV, leitor de DVD, sistema de som) numa única tomada múltipla. Quando não estiver a ser usada, desligue simplesmente a extensão e poupe no consumo de eletricidade em cerca de 10%. Os aparelhos que ficam em “stand-by” continuam a consumir eletricidade. Faça aqui uma simulação para ver quanto pode poupar.

 Outras sugestões

  • Pague as suas contas pela Internet. Elimine o papel, bem com a energia usada para transportar asfaturas.
  • Prefira produtos eletrónicos sem substâncias tóxicas. Muitos artigos elétricos contêm produtos químicos tóxicos perigosos, que são nocivos para o ambiente mesmo depois de eliminados. Antes de comprar um novo aparelho elétrico, saiba quais são as empresas que disponibilizam artigos não tóxicos, visite: http://www.eco-label.com/
  • Para poupar energia, use um recipiente térmico. Quando aquecer água para uma bebida quente, tente ferver apenas aquela de que precisa ou deite o excesso num recipiente térmico para manter a água quente para a próxima chávena!

 

Saiba mais:

Folheto Eficiência Energética

Tags: