Principais monumentos


Igreja de Santa Maria do Castelo
- Monumento Nacional
Igreja do século XII, provavelmente edificada sobre a antiga mesquita maior. Neste edifício existem duas inscrições lapidares dos túmulos de D. Paio Peres Correia e dos Sete Cavaleiros da Ordem de Santiago, que segundo a lenda, terão morrido na conquista de Tavira aos Mouros, em 1242.

Igreja da Misericórdia

Igreja do século XVI, projeto do Mestre André Pilarte, que trabalhou nos Jerónimos em Lisboa, é considerada a mais notável expressão renascentista do Algarve. No interior do edifício estão 18 paineis figurativos, azuis e brancos, representando as obras de misericórdia e passos de Cristo.

Igreja Matriz de Santiago
Igreja do século XIII, provavelmente edificada sobre a antiga mesquita menor. A fachada principal apresenta um grande medalhão com trabalhos de massa, no qual se observa ao centro, uma imagem de São Tiago a cavalo, em luta contra os mouros, símbolo

Castelo e Muralha – Monumento Nacional
Fortaleza militar islâmica e medieval, a partir da qual se desenvolveram as muralhas da cidade. No interior ajardinado, encontra-se a torre octogonal. Vista magnifica sobre Tavira, como também a torre albarrã octogonal.

Quartel da Atalaia
Um dos mais antigos do país, iniciado em 1795, trata-se de um rico exemplar de arquitetura edificada com um fim exclusivamente militar. Este edifício representa a arquitetura pombalina, rico exemplar de arquitetura edificada com fins exclusivamente militares e elemento marcante no contexto urbano.

Ermida de São Sebastião
Foi reconstruído no século XVIII, mais precisamente em 1745. O templo é de planta longitudinal composta pelos retângulos da nave, capela-mor e sacristia. Poderá observar-se no interior do templo uma interessante ornamentação composta de madeira pintada em “trompe l’oeil”, revestindo as paredes e emoldurando um conjunto de dezasseis pinturas sobre a tela, do século XVIII, evocando a vida da Virgem Maria e do mártir São Sebastião.

Igreja e antigo Convento de São Francisco
Igreja do século XIV, que foi alvo de várias destruições, como em 1755 pelo terramoto, em 1843 por desabamento de parte da igreja e em 1881 devido a incêndio provocado por um raio. A igreja conserva interessantes vestígios medievais e um antigo cemitério. No jardim camarário, anexo ao templo, conservam-se duas capelas góticas que pertenciam ao antigo claustro.

Biblioteca Municipal Álvaro de Campos
Antiga cadeia civil do século XX, foi reconvertida na atual Biblioteca Municipal, através de um projeto do arquiteto Carrilho da Graça. Este é um local agradável, constituído por sala infantil, de adultos, auditório, espaço de periódicos, bar e espaços verdes, que pretende assegurar a qualidade de vida da comunidade nos aspetos culturais, educativos e científicos.

Mercado da Ribeira 
Edifício do século XIX, de estrutura em ferro e antigo mercado recuperado em junho de 1999 para funções de lazer e comércio. Foi até esse ano, o mercado da cidade. Hoje integra lojas, estabelecimentos de restauração e bebidas, bem como um amplo espaço central coberto para utilização polivalente.

Palácio da Galeria
De origem medieval ou quinhentista é o mais notável edifício da arquitetura civil da cidade. Em 2001, o edifício foi reabilitado pela Câmara Municipal de Tavira para funções culturais. No átrio encontramos um conjunto de “poços votivos” fenícios. Museu Municipal da cidade, acolhe exposições sobre património e arte contemporânea.

Ponte antiga sobre o rio Gilão
Desconhece-se a data em que foi erguida, sabendo-se apenas que existia aquando da conquista cristã. Esta ponte tem características islâmicas que se notam nos seus arcos. A ponte atual resulta de reconstrução no século XVII, que determinou a quase total supressão das características originais. Após as cheias de 1989, que destruíram dois dos arcos, a ponte passou a pedonal.

Convento das Bernardas
Edifício fundado em 1509, pelo rei D. Manuel I, em ação de graças pelo levantamento do cerco que os mouros tinham imposto a Arzila, antiga possessão portuguesa no Norte de África. O templo sofreu diversas modificações ao longo dos séculos e foi fortemente danificado pelo terramoto de 1755. Em 1862, foi vendido em hasta pública, tendo sido adaptado em 1890 a fábrica de moagem. Do primitivo edifício destaca-se ainda o portal gótico-manuelino. Atualmente projeto para um condomínio privado, sendo o mesmo da responsabilidade do arquiteto Eduardo Souto Moura.

 

Tags: