Património Natural

A conservação dos valores naturais aliadas à sua divulgação permitirão incentivar o desenvolvimento de atividades ligadas ao ecoturismo, ao turismo de natureza, ao turismo de aventura e ao turismo sustentável, aumentando e diversificando a oferta turística na Região.

Assim, pretende-se a criação e requalificação de infraestruturas de apoio à valorização e visitação das Áreas Classificadas, bem como de outras áreas associadas à conservação de recursos naturais, incluindo sinalética, trilhos, estruturas de observação e de relação com a natureza, unidades de visitação e de apoio ao visitante, rotas temáticas, estruturas de informação, suportes de comunicação e divulgação; a organização de iniciativas de comunicação, informação e sensibilização associadas à proteção e conservação da natureza; e a execução de ações de desenvolvimento do turismo associado à natureza, incluindo conteúdos digitais, plataformas digitais e planos de marketing específicos, assentes nos recursos naturais direcionados para o reforço da visibilidade, interna e externa, da Áreas Classificadas e da região, em articulação com a conservação desses recursos.

A aposta num turismo natural pretende ir ao encontro dos objetivos específicos definidos na Resolução do Conselho de Ministros no sentido de:

  • Compatibilizar o turismo de natureza com as características ecológicas e culturais de vasa uma das áreas propostas, respeitando as respetivas capacidades de carga;
  • Promover projetos e ações públicas e ou privadas que contribuam para a adequada visitação das áreas classificadas, através da criação de infraestruturas, equipamentos, produtos e serviços;
  • Promover a valorização, a recuperação e/ou reconversão do património cultural, imóvel e imaterial existente e associado a atividades suscetíveis de serem reconhecidas como turismo de natureza;
  • Promover a criação de infraestruturas e equipamentos necessários às atividades de turismo de natureza, tais como centros de receção/interpretação, circuitos interpretativos, bem como a sinalização adequada;
  • Incentivar práticas turísticas, de recreio e lazer não nocivas para as áreas classificadas e compatíveis com a sua conservação;
  • Fomentar atividades que contribuam para a sensibilização e educação ambiental e cultural dos visitantes e população em geral;
  • Promover as atividades que contribuam para a divulgação e interpretação do património natural, paisagístico e cultural das áreas classificadas;

E também as ações previstas nos nºs. 7 e 8 da mesma resolução relativamente à construção ou reabilitação de infraestruturas de suporte a atividades associadas ao turismo de natureza, designadamente sinalética, trilhos, infraestruturas de observação e interrelação com a natureza, unidades de visitação e de apoio ao visitantes, rotas temáticas, infraestruturas de informação, suportes de comunicação e divulgação.

Desde modo pretende-se criar condições de atratividade que se constituam como forte alternativa ao turismo massificado que procura a região sobretudo pelos fatores sol e mar.


Valorização do Património Natural de Tavira – Turismo Natureza
(Ficha de projeto

Tags: